Complexo de Israel é Alvo de Operação após denúncias sobre fechamento de Igrejas

Complexo de Israel é Alvo de Operação após denúncias sobre fechamento de Igrejas

Rio de Janeiro, Brasil - A Polícia Militar realizou, nesta Segunda-Feira (8), uma operação no Complexo de Israel, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro, com o objetivo de reprimir o crime organizado, combater a disputa territorial e os roubos de veículos e cargas, além de remover barricadas. A ação ocorreu após denúncias de que pelo menos três igrejas na região foram obrigadas a fechar suas portas devido a ameaças do chefe do tráfico, Álvaro Malaquias Santa Rosa, conhecido como Peixão. 

Segundo informações da corporação, agentes do 16º BPM (Olaria), com o apoio do Grupamento Especializado de Salvamento e Ações de Resgate (Gesar), atuaram nas comunidades Cinco Bocas, Cidade Alta e Pica-Pau. Equipes do Comando de Operações Especiais (COE) também estiveram presentes em Parada de Lucas e Vigário Geral. A operação terminou sem prisões ou apreensões, resultando apenas na remoção de barricadas das ruas da região. 

No último fim de semana, a Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São Justino, em Parada de Lucas, foi fechada no sábado (6), assim como as paróquias Santa Edwiges e Santa Cecília, em Brás de Pina, que suspenderam suas missas e atividades. Moradores relataram que bandidos armados foram pessoalmente às igrejas para exigir o fechamento. Em comunicado nas redes sociais, os templos informaram que retomariam suas atividades apenas no domingo (7). 

Apesar dos relatos de moradores e da confirmação da interrupção dos serviços, o Governo do Estado negou as informações e garantiu a segurança da população. "O blindado da Polícia Militar está baseado na localidade para evitar a retomada da instabilidade na região, garantindo o funcionamento das paróquias e a segurança dos moradores", afirmou o governo em nota oficial. 

A região, dominada pela facção Terceiro Comando Puro (TCP), enfrenta tentativas de invasão por traficantes do Comando Vermelho (CV), resultando em uma intensa onda de violência nas comunidades. 

Religiosidade de Peixão 

Investigações apontam que o Complexo de Israel recebeu esse nome devido ao domínio de Peixão, que é adepto de símbolos de Israel, como a Estrela de Davi. Conhecido por sua intolerância contra praticantes de religiões de matriz africana, Peixão costuma expulsar moradores de suas áreas de influência simplesmente por exercerem sua fé, determinando a invasão e depredação de centros religiosos dedicados a essas devoções. 

Contra Peixão, há nove mandados de prisão em aberto, a maioria por tráfico de drogas, homicídio e ocultação de cadáver. Sua religiosidade é tão intensa que ele se auto-intitula Arão, o profeta de Deus e irmão de Moisés, nome que também foi adotado por sua quadrilha, conhecida como 'Tropa do Arão'. O próprio "Complexo de Israel" seria uma referência à terra prometida. 

Peixão utiliza símbolos para marcar seus territórios, como a bandeira de Israel e a Estrela de Davi, que geralmente são colocados em pontos altos das comunidades. Um exemplo é a Cidade Alta, onde uma Estrela de Davi foi instalada e pode ser vista a mais de 2,5 km de distância. 

O Que Dizem as Autoridades? 

Sobre o fechamento das igrejas, a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro informou que as paróquias Santa Edwiges e Santa Cecília, em Brás de Pina, estiveram abertas e com a segurança reforçada pela Polícia Militar. "É importante ressaltar que não houve intimidação ou qualquer tipo de comando de traficantes para fechar as igrejas e que essa informação surgiu de boatos em redes sociais", declarou a pasta em comunicado. 

O governo afirmou ainda que as forças policiais vêm realizando operações na região para a retirada de barricadas e para aumentar a segurança da população, de forma rotineira, há pelo menos dois meses. A Arquidiocese do Rio de Janeiro ainda não se pronunciou sobre o assunto. 

 

 

Por Ultima Hora em 09/07/2024
Aguarde..