Só os bravos! Em Lisboa, no apelidado 'Gilmarpalooza' governador Cláudio Castro defende mudanças na legislação para coibir criminalidade

Governador Cláudio Castro participa de painel sobre segurança pública no XII Fórum de Lisboa. (Divulgação Gov RJ)

 Só os bravos! Em Lisboa, no apelidado 'Gilmarpalooza' governador Cláudio Castro defende mudanças na legislação para coibir criminalidade

No encontro, foram apresentados os investimentos e ações do Estado do Rio de Janeiro na área da Segurança Pública

A segurança aliada aos investimentos em tecnologia e em inteligência foi um dos destaques da apresentação do governador Cláudio Castro no XII Fórum de Lisboa, que acontece na Faculdade de Direito da Universidade da cidade portuguesa. Nesta quarta-feira (26/06), no painel sobre “Governança da segurança pública nos grandes centros urbanos”, o governador defendeu e reforçou a necessidade de mudanças na legislação para a aplicabilidade de penas mais rigorosas para crimes violentos e graves como tráfico de drogas e armas.

- São necessárias mudanças urgentes na legislação penal com sanções coerentes, que não sejam favoráveis à criminalidade, principalmente em caso de reincidentes. Nós estamos com um Código Penal de 1940 e um Código de Processo Penal de 1941. Ou seja, uma legislação completamente desatualizada. Muitos crimes são tratados com artigos que são arremedos de uma política de urgência - definiu Cláudio Castro.

O aporte na ordem de R$ 4 bilhões, com foco na modernização e capacitação das polícias do Rio de Janeiro, foi também tema no fórum. Os valores embasam, por exemplo, as reduções de índices como letalidade violenta, que sofreu um declínio de 25% no acumulado do quadrimestre deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Foi apresentado ainda o aumento de armas apreendidas neste período: cerca de 2 mil, o equivalente a 17 armas retiradas de circulação diariamente.

- Conseguimos fazer uma verdadeira transformação nas estruturas policiais do Rio de Janeiro. Saímos do segundo pior salário para o terceiro melhor do país. Batalhões e delegacias estão reformados e temos um prédio inteiro voltado à inteligência e investigação, assim como modernos softwares. Além disso, ampliamos a atuação do Segurança Presente, que antes tinha 14 bases e hoje conta com 42. No próximo mês, vamos chegar a 53 unidades do programa de proximidade – antecipou.

De acordo com Castro, os resultados em dados são significativos, mas também devem ser observados com um olhar transversal para os impactos que a segurança efetiva reverberam na economia e no turismo.

- A atuação operacional e de inteligência e a preparação do efetivo de policiais em grandes eventos resgatam a credibilidade do estado. Foram mais de R$ 300 milhões de renda revertida para negócios no show da Madonna, por exemplo  – ressaltou Castro, reforçando a aquisição de câmeras corporais e de viaturas para as operações cotidianas e especiais.

Durante o evento, Cláudio Castro mencionou, ainda, que aprimorar o diálogo entre federação, estados e municípios é fundamental para o combate ao crime organizado. 

- Temos os crimes federais e os crimes municipais. Entendemos que a segurança pública hoje deixou de ser um problema exclusivo do Rio de Janeiro, uma questão local. Precisamos do CIFRA atuante, que é o nosso comitê integrado com investigação baseada em inteligência, especialmente focado na origem financeira da criminalidade - destacou. 

Acordo de cooperação técnica

Após o painel, Cláudio Castro assinou um acordo de cooperação científica e técnica entre a Procuradoria Geral do Estado e o Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP). O termo estabelece a parceria entre os participantes para a realização da pesquisa jurídica e a realização de atividades acadêmicas e culturais conjuntas. 

- A iniciativa vai permitir que a PGE-RJ participe ativamente com o IDP na organização de conferências e seminários no Rio de Janeiro similares ao Fórum de Lisboa – explicou o procurador-geral do Estado, Renan Miguel Saad.

Fórum de Lisboa 

Em sua décima segunda edição, o Fórum de Lisboa aborda um panorama sobre como a globalização tem influenciado positiva ou negativamente diferentes áreas e os impactos no Brasil e na Europa. O objetivo é abordar os desafios da atualidade como meio ambiente, segurança, saúde e imigração.

Divulgação Gov RJ

 

 

Por Ultima Hora em 27/06/2024
Aguarde..